acidentes com drones - Acidentes com drones: os 10 erros mais comuns

Acidentes com drones estão ficando cada vez mais comuns. Foto: Reprodução/Google

Diariamente é possível ver, em fóruns e grupos no Facebook, a quantidade de droneiros que exibem seus drones quebrando depois de se envolverem em algum tipo de acidente. Aquela experiência fantástica de voar e capturar belos vídeos e fotos acaba se tornando uma tremenda dor de cabeça quando o drone se envolve em quedas, choques ou qualquer outro tipo de acidente, além de colocar todo o investimento por água abaixo.

Seja você experiente ou não, a última coisa que você quer que aconteça quando você trabalhou duro para comprar um drone é derrubá-lo, fazendo algo errado que você poderia facilmente ter evitado. Considerando que alguns fatores estão inevitavelmente fora de suas mãos, você precisa estar ciente das coisas que você pode controlar e erros que você pode evitar.

Vejamos abaixo os erros mais comuns daqueles que já se envolveram em acidentes ou derrubaram seu drone:

01. Confundir a direção do drone

Esse é o erro mais comum quando o assunto é acidentes com drones. Quando o drone está voando muito alto no céu, pode ser difícil dizer, especialmente para os pilotos iniciantes, a direção que o drone irá seguir e assim pode-se facilmente confundir o rabo do nariz e bater com o drone em alguma coisa. Antes de voar, certifique-se de conhecer bem o controlador do drone, a falta de familiaridade com o controlador do drone gera confusão principalmente para iniciantes. Se você está iniciando não voe em locais com muitos obstáculos, principalmente se o drone não tiver sensores de anti-colisão. Aprenda a pilotar o drone fazendo voos de pequenas distâncias, sem colocar em risco as pessoas e seu equipamento. Há muitos relatos na internet de usuários que perderam o drone por colidir com paredes ou árvores depois de ter confundido a direção do drone.

02. Mau funcionamento dos motores

Os motores / hélices do seu drone são feitos para serem robustos e ao mesmo tempo macios, de modo a não ferir pessoas ou causar danos a outros objetos. Eles são, portanto, bastante suscetíveis a dobrar fora de forma após vários solavancos. Sempre verifique cada um dos motores antes de um voo, para ter certeza de que eles estão em perfeita forma. Se seu drone não estiver bem estabilizado no ar, é hora de dar uma olhada nas hélices e motores do drone.

acidente com drones 2 - Acidentes com drones: os 10 erros mais comuns

03. Falta de sinal de GPS

Se você está voando seu UAV dentro de casa, você está quase garantido a falta de sinal de GPS. Por isso, sempre que puder, é recomendável voar em áreas abertas longe de edifícios altos. Muitas pessoas se envolvem em acidentes quando tentam voar com o drone em ambientes internos e com muitos obstáculos. A perda de sinal do GPS vai fazer com que o drone esteja mais vulnerável a colisões e rotas mal planejadas e algumas funções devem ser evitadas como é o caso do return to home. Se o piloto for de pouca experiência esse risco de colisões aumenta consideravelmente.


04. Erro de Bússola (compass)

Bússolas sintonizadas incorretamente são uma das maiores causas de acidentes com drones. As bússolas de drone podem se desintegrar de qualquer fonte magnética e de frequência de rádio (RF). Evite voar próximo de ímãs como os dos alto-falantes do carro durante o transporte, bem como em um ambiente com alta interferência eletromagnética, como linhas de alta tensão e torres de telefonia celular. Geralmente, os app como o DJI GO informa o nível de interferência e muitos usuários acabam ignorando as mensagens de advertências do próprio aplicativo. Voar em áreas com alta interferências fará com que o drone perca contato com o rádio e seguir rotas não solicitadas pelo usuário.

05. Transmissão de vídeo desconectada

Quem nunca se desesperou ao perder o drone de vista e ao mesmo tempo perder a transmissão de vídeo? Daí bate aquele desespero de como trazer o drone de volta com segurança. Essa é outra causa comum de acidentes com drones e pode acontecer a qualquer momento, desde o primeiro voo até alguns meses depois, geralmente decorrente de cabos soltos e portas danificadas, locais com interferência eletromagnética etc.

Certifique-se de que seus cabos estejam sempre bem conectados antes de voar e desconectados cuidadosamente, para manter as portas em bom estado. Antes mesmo de voar certifique que a função Return to Home está devidamente configurada para o local no qual você irá voar. O ideal é voar com o drone dentro do seu campo de visão, para evitar acidentes, caso haja interferência na transmissão de vídeo.

return to home - Acidentes com drones: os 10 erros mais comuns

06. Não saber usar o Return to Home corretamente

Quando você perde o controle do seu drone, como piloto, uma das reações naturais mais rápidas seria acertar o botão Return to Home (RTH). Mas, vale a pena ter em mente que a maioria dos drones não pode evitar obstáculos. Isso significa que o UAV simplesmente traçará uma linha reta até o ponto de origem, mesmo se houver árvores, prédios ou postes de eletricidade no caminho; isso pode facilmente resultar em uma falha grave. Você não deve entrar em pânico para pressionar o botão RTH toda vez que perder o controle do UAV, mantenha a calma e descubra um movimento melhor.


07. Home Point incorreto

Às vezes isso acontece quando a trava do GPS é perdida durante o voo e depois recuperada, fazendo com que o drone recalibre um ponto inicial incorreto. Lembre-se de que o ponto inicial pode estar onde seu drone decolou ou onde quer que seu controle remoto esteja. Por fim, certifique-se de definir a altitude de retorno para que seja mais alta do que qualquer outra na área. Os 100 metros devem funcionar bem, a menos que você esteja voando em uma cidade ou perto de estruturas altas, como mastros de telefone.

08. Falha na bateria

É essencial voar sempre com uma bateria totalmente carregada e nunca ser tentado a iniciar um novo voo com uma bateria fraca ou parcialmente carregada. Embora você provavelmente consiga usar uma bateria semi-carregada a maior parte do tempo, isso sempre vem com o risco de perder energia aleatoriamente no meio do voo quando você menos espera.

Recentemente o Matrice 200 da DJI começou a cair do céu inesperadamente devido a perda súbita de bateria.  No Reino Unido a agência reguladora de aviação CAA emitiu um alerta de segurança para que todos os pilotos parassem de usar o drone até que o problema fosse solucionado pela DJI.

09. Bateria insuficiente para fazer um Return to Home seguro

É importante aterrar seu drone com 30% de energia na reserva. De modo que, no caso de uma emergência exigir que você adie o pouso, você terá tempo suficiente para encontrar um novo local de pouso ou lidar com o problema. Além disso, alguns drones vêm com um recurso à prova de falhas no qual o drone se dirige automaticamente para seu ponto inicial quando a bateria atinge 10%. Se houver árvores ou outros obstáculos entre o drone e seu ponto de origem, ele voará diretamente neles.

Se a bateria de seu drone está próximo dos 20% ou 15% o ideal é manter o drone sempre por perto. Calcule bem o tempo que você irá levar para trazer e pousar o drone com segurança, nunca esteja a longa distância do seu home point com níveis baixos de bateria.

10. Colisão com outro drone, árvores, edifícios etc

Esse tipo de erro é raro, mas se houver outros drones no céu, há sempre a possibilidade de uma colisão, especialmente se os pilotos estiverem inconscientes da presença do outro na área, executando manobras de voo complexas ou corridas. Fazer long range aumenta o risco de colisão com outros drones ou aeronaves. Se você está iniciando o ideal é não fazer voos perto de árvores ou edificações para evitar colisões, procure sempre locais a céu aberto sem muitos obstáculos.